Saltar para o conteúdo

De Pequeno Caramba a Caramba Man: as devidas apresentações

Boas pessoal, como é que é, está tudo bem?

Dizem as regras da boa educação que nos devemos apresentar. E aproveitando que estou com algum tempo disponível, devido a uma paragem "mais ou menos forçada" nas minhas correrias, das quais vos falarei nas próximas semanas, aqui vai uma breve descrição aqui do "menino":

Pedro Manuel Ramos Caramba, 42 anos de idade, Alentejano de corpo e alma, em todos os poros e costelas. E foi assim que eu nasci:

Família Ramos Caramba

Gordinho. Diz a Mãe Matilde que eu adorava pequenos pedacinhos de pão, molhados no caldo de uma bela feijoada. Mal sabia ela e o pai Francisco que o gorducho ia virar um "esquesitóide" uns anos mais tarde. De certas comidas e de "sessões fotográficas:

 

Hoje em dia, assim que vejo uma máquina fotográfica, faço sempre aquela pose, eheheh.

A verdade é que o pequeno Caramba cresceu, no seio de uma família pequena e feliz, com alguns amigos (poucos mas bons), passou pelas fases "do armário", da "rebeldia" e outras, até me tornar CARAMBAMAN.

Não, não é nenhuma personagem de banda desenhada, eheheh. Tudo começou em Beja, em plena Universidade. Nas praxes tinha o hábito de ser duro com a "bicharada". Até que, por piada, houve umas caloiras que me começaram a chamar de CARAMBAMAN. Eram alturas de curtir as noites em plena planície alentejana, "autênticos bandos de corvos de capa e batina".  Obrigado à Cristina e à Susana, foram elas as (boas) responsáveis por este "nick name", com o qual hoje me identifico.

Mais anos passaram até os dias de hoje: muitas festas, muitas pessoas, boas amizades, até chegar ao corredor e homem que sou hoje. Também houve algumas perdas importantes, os meus Anjos da Guarda, que seguem comigo nesta caminhada que é a Vida. Crente em Deus, é por aqui o meu caminho.

E este sou eu....

E com esta "captura da minha essência" me vou, até ao próximo artigo...

12 comentários em “De Pequeno Caramba a Caramba Man: as devidas apresentações

  1. Paula Moncacho

    Meu querido ... Belos tempos se passaram em Beja. Saudades imensas. Pessoa verdadeira e amigo do seu amigo. Beijinho enorme de coração ...

    Responder
    1. CarambaMan

      Força amigo. Mais que outra coisa, os blogues são uma forma de, mais tarde recordar.
      A propósito, gostei muito de te ver no outro dia.
      Um abraço

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *